Espaços públicos e mobilidade para primeira infância

Em um dia comum, uma criança na primeira infância e seus cuidadores demandam diversos serviços e espaços da cidade, como creches, postos de saúde e praças. Experiências nas ruas da cidade e nos espaços públicos que elas oferecem são de extrema importância, mas acabam sendo escassas se o planejamento urbano não contar com um olhar voltado à primeira infância. 

Espaços públicos e mobilidade para primeira infância

Os espaços públicos exercem grande influência na primeira infância, onde experimentam as primeiras experiências fora do círculo familiar e doméstico. As ruas, calçadas, parques e praças são espaços de trocas e criação de vínculos com a cidade e entre a comunidade. A mobilidade para famílias contribui para a qualidade de vida das crianças e dos cuidadores, criando as condições para que possam se deslocar de forma adequada e segura. 

Cidades para crianças beneficiam também idosos e adultos, incentivando a convivência familiar e comunitária com o aproveitamento dos espaços públicos com segurança e acessibilidade.

Convivência familiar

A convivência familiar acontece em diversos momentos da vida da criança. Desde que nasce e é colocado nos braços da mãe, o bebê já começa a criar vínculos e a desenvolver laços de afeto. Quando ele começa a crescer e está em uma fase que já pode se locomover com seus cuidadores, é preciso que haja espaços confortáveis e adequados.

Isso ajuda a estabelecer ainda mais vínculos entre os cuidadores e as crianças, fazendo com que a experiência familiar seja mais proveitosa. As árvores, o sombreamento das calçadas, os bancos, bebedouros, espaços para amamentação e a iluminação pública, por exemplo, ajudam muito na melhora da convivência familiar vivida nos espaços públicos.

Brincar com as crianças

A rua é o espaço ideal para crescer! É exatamente isso que se deve prezar no momento de fazer o planejamento urbano. Espaços como praças, playgrounds e até mesmo ciclovias precisam ser tidos como prioridade. As crianças não devem aprender a lidar com uma estrutura deficiente, elas devem ter espaços adequados para aprender a aproveitá-los da melhor maneira possível.

As crianças, especialmente na primeira infância, precisam brincar para desenvolver habilidades importantíssimas, como as sociais, emocionais, cognitivas, motoras, entre outras. Sem a rua, isso se torna muito mais difícil. Com ruas e espaços públicos depredados, inacessíveis, distantes e inseguros, as crianças não conseguem se desenvolver de maneira saudável e feliz.

Como favorecer e facilitar o acesso a esses espaços?

Para favorecer o acesso aos espaços públicos, é preciso pensar na primeira infância, criando espaços saudáveis, seguros e próximos das residências. É necessário aproximar as casas das pessoas dos espaços, criando um distanciamento menor entre a moradia e os serviços e locais, como escola, trabalho, praças, etc.

O acesso aos locais é um dos maiores problemas, porém a questão pode ser melhorada com planejamento público que considere uma mobilidade para bebês, crianças pequenas e seus cuidadores. O acesso sensível ao sistema de transporte público deve ser transformado em um acesso facilitado e barato para todos, em especial para as crianças na primeira infância e seus cuidadores.

Outra questão importante relacionada aos espaços públicos e a mobilidade na primeira infância tem a ver com o conhecimento. Tudo é feito por meio do saber sobre as necessidades de cada fase do desenvolvimento das crianças. Para isso é possível fazer um estudo sobre ergonomia infantil, mobiliário urbano, segurança no trânsito, entre outros.

Saiba mais sobre a Urban95

A Fundação Bernard van Leer implementou a iniciativa da Urban95 para pensar nas cidades com a perspectiva de crianças que estão na primeira infância. Por isso, conta com uma rede de profissionais que criam projetos e ajudam a colocar as melhores estratégias em prática nos municípios de todo o Brasil. Navegue no site da Urban95 para entender mais sobre os projetos!