Cidades da Rede Urban95 trocam experiências no último webinar de 2021

O webinar de encerramento dos trabalhos da Rede Urban95 Brasil em 2021 apresentou um panorama da experiência das cidades brasileiras que estão pensando e intervindo em seus espaços públicos a partir das necessidades dos bebês, crianças pequenas e cuidadores. O evento online ocorreu na última sexta-feira (03.12) e reuniu 10 cidades da Rede para um encontro de trocas e confraternização.

Ao final de um ano de trabalho, os municípios começam a colher os frutos de todos os esforços realizados pela primeira infância, como intervenções instaladas pelas cidades, campanhas de mudança de comportamento e passos certeiros para a confecção de planos e leis municipais que garantam os direitos das crianças.

A representante da Fundação Bernard van Leer no Brasil, Claudia Vidigal destacou os caminhos trilhados na construção dos planos locais pela primeira infância, que deverão ser o foco da Rede no próximo ano. “Em um momento em que a população brasileira está especialmente vulnerável, é importante voltar aos básicos e olhar para as demandas de assistência social, saúde e educação. Tenho certeza que 2022 será um ano de muitas realizações para a Rede Urban95 Brasil.

 Fortaleza-CE

Mariana Gomes, gerente de projetos no Laboratório de Inovação da Prefeitura de Fortaleza, apresentou ao grupo o histórico de políticas para a primeira infância no município, com aprovação de um completo Plano Municipal pela Primeira Infância, ainda em 2014. Com uma proposta de integração de programas e políticas, o documento vem se desdobrando em diversas ações nos últimos anos.

Com a entrada na Rede Urban95 Brasil, Fortaleza conquistou dois micro parques urbanos para a cidade, espaços com elementos de parques naturalizados e que contaram com participação ativa da comunidade para sua elaboração. Implantados em áreas socialmente vulneráveis da cidade, se tornaram respiros verdes para as crianças e famílias.

Crato-CE

Na cidade cearense de Crato o destaque foi para as intervenções lúdicas, que aproveitaram as escadarias da cidade para transmitir a ideia de direitos das crianças para toda a comunidade. Desenhos e mensagens estampando conceitos de forma colorida e lúdica. O investimento semente permitiu a intervenção ao redor de um centro educacional, tornando o trajeto preferencial das crianças mais interessante e atrativo.

Além dos avanços na elaboração do plano municipal temático, a cidade está recebendo uma consultoria da parceria Allma Hub Criativo para desenvolver um projeto voltado à parentalidade e educação não violenta. Pensando ambientes mais acolhedores e responsivos para o desenvolvimento dos futuros cidadãos.

Brasileia-AC

Membro do Comitê Municipal Intersetorial dos Programas Primeira Infância Acreana e Criança Feliz, no município de Brasileia, Fabrício Rocha contou sobre a experiência de revitalização da Praça Leonardo Barbosa, com uma proposta voltada ao lazer de crianças. Já na praça Hugo Poli foram feitas pinturas interativas e um cantinho da leitura para promover o hábito de ler livros entre a crianças e famílias

O coreto da cidade também foi revitalizado para esse público, e agora conta com um espaço de leitura e contação de histórias. Recentemente a cidade recebeu uma visita de equipes técnicas do projeto Urban95 e para 2022 novas ações devem inspirar Brasiléia.

Aracaju-SE

Cecília Leite, da Prefeitura de Aracaju, compartilhou a experiência da cidade pela implementação do Plano Municipal pela Primeira Infância. Com o estabelecimento de um grupo intersetorial a cidade conseguiu fazer um amplo levantamento de indicadores e um robusto diagnóstico sobre bebês, crianças e cuidadores.

A cidade segue com uma agenda densa para avançar em 2022! Com a metodologia do Pé-de-Infância a cidade está desenvolvendo ações em conjunto com a comunidade, e novas intervenções foram sugeridas pela comunidade.

Ilhéus-BA

A cidade baiana está finalizando a implementação de intervenções do projeto Pé-de Infância dentro de uma unidade do CRAS, uma proposta apresentada pela representante da Prefeitura Municipal de Ilhéus, Joelia Sampaio.

A cidade também está em diálogo com um centro universitário local para pensar outras intervenções no território. Essa conexão com a comunidade potencializa o trabalho da cidade e contribui para a implementação de políticas cada vez melhores.

Pelotas-RS

Carmem Roig, da Prefeitura de Pelotas, trouxe uma retrospectiva das políticas já desenvolvidas na cidade com foco em crianças pequenas e cuidadores, como

programas de atendimento à primeira infância voltados à educação psico-social. A cidade investe na promoção dos cuidados interativos e uma cultura de cuidado e segurança para a primeira infância, incluindo as gestantes.

A cidade comemora ainda a criação do Comitê Intersetorial em 2021, passo importante para reunir programas e concentrar sinergias locais. A novidade para o próximo ano é o projeto de qualificação de vias de acesso, calçadas e muros próximos à centros de saúde e de educação, áreas com grande fluxo de crianças.

Niterói-RJ

Kallena Lima, da Prefeitura de Niterói falou sobre a estratégia da cidade para o ano que se encerra, muito voltada à sensibilização das secretarias, formação de grupos de trabalho e novas parcerias. O próprio prefeito fez a assinatura de carta compromisso pela primeira infância, reforçando o compromisso coletivo da gestão com a pauta.

Merecem destaque também programas como o Pedal das Crianças e o programa Infância mais Verde, que traz um compilado de programas ligados à sustentabilidade. A proposta é fazer o monitoramento da qualidade do ar à altura de uma criança e ao longo de rotas com grande circulação delas. Uma tentativa de olhar sob a perspectiva dos 95cm, literalmente.

Campinas-SP

Thiago Ferrari, apresentou os avanços do Programa Primeira Infância Campineira, um plano completo para a construção de uma cidade mais amigável para crianças no interior de São Paulo. Ele reforçou a importância da sensibilização dos secretários municipais e técnicos que atuam em áreas de interesse da primeira infância na cidade.

A cidade espera que a base concreta que vem sendo desenvolvida vá se transformar em ações concretas em 2022, com foco em mudança de comportamentos e a adoção da pauta da primeira infância.

Jundiaí-SP

Marcelo Peroni destacou o engajamento pessoal do prefeito de Jundiaí na agenda da primeira infância, mas também a importância da intersetorialidade e do engajamento da equipe técnica. A cidade comemora um completo Observatório da Primeira Infância, hoje com 117 indicadores com enfoque nesse público.

A cidade conta ainda com o Comitê das Crianças, instituído desde 2018, onde participam ativamente no processo de construção de políticas e priorização de demandas. A cidade agora está investindo em projetos de promoção do contato com a natureza, com plantio de árvores e hortas urbanas.

Caruaru-PE

Julianne Pepeu contou para a Rede Urban95 sobre o realinhamento do plano municipal que já existia na cidade, mas que nunca havia sido implementado. Com apoio do Ifan, a cidade conseguiu realizar a reescrita do Plano, de forma que refletisse mais a realidade local.

A cidade comemora outra grande realização: a implementação de dois parques naturalizados que promovem o brincar ao ar livre, o desemparedamento das crianças e o uso dos espaços públicos. A comunidade está recebendo instruções sobre o uso e cuidado com o espaço e campanhas de conscientização sobre a importância do contato com os ambientes naturais está apoiando a população nessa aproximação.

Em 2022, as 24 cidades que integram a Urban95 Brasil seguirão em rede para ampliar a agenda da primeira infância no Brasil. São elas: Aracaju (SE), Boa Vista (RR), Brasiléia (AC), Campinas (SP), Caruaru (PE), Crato (CE), Fortaleza (CE), Ilhéus (BA), Jundiaí (SP), Niterói (RJ), Pelotas (RS), Recife (PE), São Paulo (SP), Alcinópolis (MS), Alfenas (MG), Benevides (PA), Canoas (RS), Cascavel (PR), Mogi das Cruzes (SP), Paragominas (PA), São José dos Campos (SP), Sobral (CE), Teresina (PI) e Uruçuca (BA).