Como escolher a via para implementar uma Rua de Brincar

Especialistas dão dicas para iniciar o programa e falam dos benefícios e impactos positivos

É possível melhorar as cidades para que elas sejam seguras, lúdicas e confortáveis para as crianças e para todos os seus habitantes. Uma das formas de fazer isso, seja em um município pequeno ou em uma metrópole, é por meio da implantação das Ruas de Brincar. Nesse espaço público dedicado à confraternização e socialização, as crianças podem despertar aprendizados, ser livres e brincar sem medo. Além disso, a implementação de uma Rua de Brincar é rápida e barata. Mas, como começar?

Para Letícia Sabino, mestre em planejamento de cidades e design urbano e fundadora da SampaPé, sempre é bom começar por um local em que haja demanda da população ou da comunidade por um espaço delimitado para diversão. “Pode ser uma rua local ou uma grande avenida. O importante é estar muito atento às pessoas, às possibilidades de atividades existentes – esportivas e culturais, por exemplo – nos espaços públicos ao redor e também se há, idealmente, espaços verdes.

Já para Lívia Barbosa, diretora de cultura de Uruçuca (BA) e idealizadora do “Ruas Brincantes” no município, a dica é não prejudicar o fluxo habitual. “É preciso escolher a rua com cuidado para que essa ação não interfira na movimentação básica da cidade. Por exemplo: atenção para não escolher uma rua que seja passagem para o hospital, cemitério ou algum outro serviço permanente”, explica.

Outra recomendação de Lívia é utilizar ruas com alguma infraestrutura de suporte por perto: “Em Uruçuca, optamos por escolher uma rua que tivesse um prédio público para nos dar suporte, inclusive com banheiro”, conta.

5 passos para implementar uma Rua de Brincar no seu município

Se você é gestor público:

  1. Ouvir as demandas da população
  2. Mapear espaços e ruas potenciais e escolher a rua
  3. Promover diálogos com a comunidade e com outras cidades que já implementaram a iniciativa para promovê-la com consistência
  4. Mobilizar e integrar o trabalho entre secretarias, para transformar a iniciativa em política pública que possa ser ampliada com o tempo
  5. Divulgar amplamente o evento

Se você é da sociedade civil:

  1. Estabelecer parcerias (escolas, gestão pública, organizações e comércio locais, lideranças comunitárias)
  2. Mapear oportunidades (ruas, espaços públicos, grupos culturais) e escolher a rua
  3. Realizar um organograma de responsabilidades (quem é responsável pelas diferentes atividades)
  4. Dialogar com o poder público e transformar a iniciativa em política pública que possa ser ampliada com o tempo
  5. Divulgar amplamente o evento

Ursula Troncoso, arquiteta e urbanista consultora na implementação do “Rua do Brincar” em Jundiaí (SP), dá dicas para o sucesso do evento, como identificar e listar os produtos necessários para que a programação seja um sucesso: cadeiras, elementos para gerar sombra, cones para fechar a rua, atividades esportivas, culturais e inclusivas. “É importante oferecer espaços para que a comunidade revele seus talentos, deixando que os moradores organizem e facilitem oficinas, por exemplo”, explica.

É importante garantir atividades diversas, envolvendo a comunidade, além de espaços de sombra e socialização. Acima, uma Rua de Lazer realizada com a comunidade e a escola em Jundiaí – SP. (Crédito: Cidade Ativa)

Impactos positivos

Para Ursula Troncoso, as reações das crianças são o melhor exemplo de que a iniciativa gera grandes impactos positivos: “Uma fala que me impactou muito foi a de uma criança que disse: ‘Eu nunca tinha brincado na rua antes’. Me marcou porque na minha infância eu ainda brinquei na rua. Mas hoje as crianças não brincam mais. Passam a maior parte do tempo dentro de casa, inclusive nos fins de semana”.

A arquiteta e urbanista ressalta que as Ruas de Brincas revelam às crianças e adultos uma outra relação com o espaço público. “Todos têm a oportunidade de estar juntos em um ambiente seguro e ao ar livre. Isso é muito bom”, afirma.

Em Uruçuca, as “Ruas Brincantes” tiveram grande adesão e 100% de satisfação. Todos os participantes da edição piloto avaliaram a iniciativa como positiva e afirmaram que voltariam a participar em um próximo evento. “A cidade é carente de espaços de lazer específicos para as crianças, então a escolha desse tipo de evento foi a opção ideal”, afirma Lívia.

As Ruas de Brincar estimulam as brincadeiras ao ar livre de forma segura. Na foto, primeira edição das Ruas Brincantes em Uruçuca – BA. (Crédito: ASCOM/Prefeitura de Uruçuca)

Benefícios para as crianças 

A implementação de uma Rua de Brincar abrange muitos benefícios, já que é um espaço para:

  • Expandir as possibilidades de brincadeiras e aprendizados
  • Estimular conversas e convivência com pessoas de origens e contextos socioeconômicos diferentes
  • Diversão
  • Fugir do perigo do trânsito e do fluxo dos carros
  • Sair do vício do uso das telas
  • Sair do emparedamento (estar sempre em ambientes fechados)
  • Exercitar a imaginação

“Todos esses benefícios estimulam o cérebro das crianças e levam a um maior desenvolvimento fisiológico e biológico, porque permitem um maior convívio social, com mais qualidade pela capacidade de olhar longe, distante e a possibilidade de sentir o clima no corpo”, afirma Letícia Sabino.