As cinco dimensões da primeira infância

Os primeiros anos de vida

Um momento único para investir no desenvolvimento das crianças

Em seus primeiros mil dias de vida, as crianças respondem mais rapidamente às interferências, estímulos e experiências do que em qualquer outro momento, fazendo deste período uma janela crucial de oportunidades para o desenvolvimento humano.

Da mesma forma, quando expostas de forma prolongada a experiências adversas na primeira infância, como negligência, violência, abuso ou disfunções familiares, o desenvolvimento infantil pode afetar de forma adversa suas funções superiores e, consequentemente, sua integração plena na sociedade quando adultos. 

As 5 dimensões do desenvolvimento infantil

O cuidado integral oferece oportunidades únicas para os bebês e as crianças pequenas

Para um desenvolvimento pleno de suas potencialidades, os bebês e crianças pequenas precisam de acesso à saúde, uma nutrição adequada e saudável, estímulos motores, sensoriais e um cuidado amoroso por parte dos seus cuidadores, os protegendo do estresse e diversas formas de violência.

O modelo de nutrição de cuidados, ou cuidados de criação, incluem componentes inter-relacionados de saúde, nutrição, proteção e segurança, aprendizagem precoce e cuidados responsivos. Essas 5 dimensões do desenvolvimento infantil apontam cuidados essenciais para o desenvolvimento pleno dos bebês e crianças pequenas, e constituem a base de uma vida feliz e saudável na vida adulta. 

Com o exercício dos cinco domínios, as crianças podem aproveitar todo o seu potencial de desenvolvimento, contando para isso com seus pais, cuidadores e toda a sociedade. Os cuidados com as dimensões do desenvolvimento podem ser  promovidos e incentivados pela gestão pública, oferecendo acesso à serviços, informações e intervenções que ajudam os pais e outros cuidadores a assegurar que as crianças cresçam saudáveis e protegidas de perigos.

  • Saúde

As condições de saúde de uma criança afetam diretamente seu desenvolvimento

A dimensão da saúde na primeira infância inclui também pais e cuidadores, sendo fundamental uma abordagem de saúde da família para garantir o acesso pleno à serviços e direitos. Sabemos, ainda, que quando cuidamos da saúde física e mental dos cuidadores aumentamos sua capacidade de atender as necessidades infantis.

Os serviços de saúde são importantes na prevenção de doenças e promoção do bem-estar integral, se iniciando ainda no pré-natal. O cuidado com as gestantes pode assegurar os nutrientes adequados durante a vida intrauterina, favorecendo o desenvolvimento cerebral, bem como a prevenção de doenças e o incentivo à amamentação 

  • Nutrição

A nutrição adequada começa ainda na gestação

Um ambiente ideal promove o desenvolvimento dos bebês e crianças ainda durante a gravidez, considerando que a saúde da mãe afeta diretamente o estado nutricional do feto. A desnutrição materna também pode acarretar baixo peso ao nascer e aumenta o risco de doenças crônicas na vida adulta. 

Após o nascimento, a nutrição dos cuidadores afeta inclusive a capacidade de oferecer cuidados adequados à criança, resultando em problemas como amamentação insuficiente, desnutrição proteico-calórica e carência de micronutrientes.

  • Cuidado responsivo

Apoiar o cuidador para atender as necessidades dos bebês e das crianças 

Violência, negligência e maus-tratos podem ter efeitos fortes e duradouros sobre a estrutura cerebral das crianças, afetando suas funções psicológicas, comportamentos de risco na vida adulta e desenvolvimento profissional e econômico. A criação de um ambiente seguro, amoroso e seguro reduz os riscos de violência, melhoram a interação entre pais e filhos e seu conhecimento sobre o desenvolvimento infantil.

Os cuidados responsivos são os mais próximos da criança, e se referem à capacidade de todos os cuidadores da criança, sejam pais, avós ou professores, a perceber e responder aos sinais desta criança de maneira oportuna, sem negligência nem hiper estimulação.

4) Segurança e proteção

Ambientes seguros para bebês, crianças e suas famílias

Perigos físicos, emocionais e riscos ambientais são ameaças para o desenvolvimento pleno e saudável dos bebês e crianças pequenas. No caso das grandes cidades, além da violência sistêmica a poluição é uma questão central e que afeta de forma desproporcional a primeira infância, especialmente aquelas em famílias vulneráveis.

As cidades devem garantir às crianças pequenas e suas famílias um acesso adequado à alimentação de qualidade, sendo um foco de destaque o cuidado com famílias em risco de insegurança alimentar. Além da obrigação constitucional em fornecer localmente os serviços básicos de infraestrutura, a garantia de que as famílias tenham acesso à água e esgoto tratados é condição fundamental para a segurança e proteção na primeira infância.

5) Aprendizagem inicial

Oportunidades para os bebês e as crianças pequenas têm de interagir com o mundo

Reconhecemos que cada interação, seja positiva ou negativa, contribui para o desenvolvimento cerebral das crianças e estabelece as bases para o seu desenvolvimento. Aqui podemos pensar em relações interpessoais e também com o ambiente, fundamental para que os bebês e crianças pequenas possam experimentar suas cidades, explorar o território e criar vínculos com o espaço urbano. 

As interações vividas durante os primeiros anos têm um impacto grande sobre o desenvolvimento integral das crianças e também são base para aprendizados posteriores. A formação neurológica e emocional deste período é marcante e pode influenciar o indivíduo por toda sua vida.