“Medir para aprimorar” é o caminho para cidades que investem na primeira infância

Cidades Urban95 acompanharam o 12° webinar temático com um olhar para esforços e impactos quando falamos de primeira infância e espaços urbanos.

As cidades da Rede Urban95 se reuniram na manhã dessa quinta feira (05/08) para o webinar ”Avaliação e Monitoramento de políticas para a primeira infância”. O evento contou com a participação de Eduardo Marino, da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Andressa Lopes Ribeiro da WRI Brasil, e Tânia Batistela Torres, representante da Prefeitura Municipal de Canoas e consultora do método Quali-Urb Infância para rotas escolares. O grupo discutiu alguns caminhos para beneficiar bebês e crianças pequenas nas cidades e desenvolver respostas mais efetivas para suas necessidades.

Assista o Webinar completo.

Representante da Fundação Bernard van Leer no Brasil, de onde lidera a iniciativa Urban95, Claudia Vidigal abriu o evento relembrando o histórico da Fundação com o monitoramento de políticas em São Paulo, especialmente na parceria com o Instituto Cidades Sustentáveis, a partir de onde surgiu o Mapa da Desigualdade da Primeira Infância. Com 26 indicadores, nas mais diversas áreas da administração pública, o Mapa aponta prioridades e necessidades desta população, dentre os 96 distritos da capital paulista.

“A partir do Mapa foram definidos 10 territórios prioritários para intervenção com foco na primeira infância e com o avanço das ações os Territórios Educadores estão cada vez mais próximos de se tornarem realidade. Avançamos em parceria com o município de São Paulo para entender cada vez melhor os territórios”, completa Cláudia.

Eduardo Marino, da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, apresentou dados de alguns programas voltados ao desenvolvimento da primeira infância nos Estados Unidos, com destaque para o Perry Preschool, iniciado nos anos 60 com grande impacto nas concepções sobre desenvolvimento infantil, tendo sido replicado em diversas escolas estadunidenses.

Ele destacou ainda a importância da qualidade dos programas para garantir sua efetividade, sendo o monitoramento a garantia de que nenhum impacto negativo possa ser justificado. “Estamos ofertando programas de qualidade para as crianças? E com qual o impacto? Estas perguntas são as duas principais razões para a monitorar e avaliar”, resume.

Facilitação gráfica do Webinar (Crédito: Coletivo Entrelinhas)

 

Voltando ao município de São Paulo, o programa São Paulo pela Primeiríssima Infância ganhou destaque pela capacidade de monitoramento qualitativo e intersetorial, incluindo as 5 dimensões para o diagnóstico de indicadores do cuidado, relacionados ao eixo da saúde, nutrição, segurança e proteção, cuidado responsivo e aprendizagem inicial.

Um método para avaliar rotas escolares

Andressa Lopes Ribeiro da WRI Brasil, e Tânia Batistela Torres, da Prefeitura Municipal de Canoas apresentaram às cidades da Rede Urban95 Brasil o projeto Quali-Urb Infância, que propõe um método para o monitoramento da qualidade do ambiente urbano ao longo de rotas escolares. Pensando caminhos seguros e lúdicos entre a casa e a escola, a ferramenta apoia a criação de territórios educadores para além dos muros da escola e com a participação das crianças e cuidadores.

A metodologia tem um componente de percepção que aproxima os usuários e ajuda a entender quais atributos urbanos que tornam o trajeto até a escola a pé ou por bicicleta mais seguro, confortável e interessante para crianças de 0 a 6 anos e seus cuidadores. Permite ainda um detalhamento do que precisa ser aperfeiçoado quanto a segurança pública e viária, a caminhabilidade, a atratividade das rotas e o nível de bem-estar que o espaço oferece aos cuidadores.

Tânia Batistela Torres apresentou as três etapas de planejamento, coleta e análise dos dados, aplicadas por meio das ferramentas de manual, questionário e planilha eletrônica. “É importante que as três etapas sejam seguidas de forma completa, para garantir a consistência e padronizar o método. É um passo-a-passo”.

O evento contou com a facilitação gráfica do Coletivo Entrelinhas, que registrou o debate e as intervenções durante todo o processo. As cidades da Rede Urban95 seguem em diálogo e troca para fortalecer a agenda da primeira infância nos municípios.

Assista: