4 Cidades da Rede Urban95 projetam espaços ideais para crianças

Workshop em parceria com a Nacto discute intervenções urbanas e estratégias para melhorar o acesso e qualidade das experiências na infância em exercício coletivo

“Esse é o meu momento favorito, onde podemos imaginar o cenário dos nossos sonhos para incluir bebes, crianças e cuidadores nas cidades, mãos a obra!” E assim, com muita inspiração, Skye Duncan recebeu cidades da Rede Urban95 para um workshop online sobre o planejamento sob a perspectiva das crianças pequenas, que ocorreu na última quinta (06.05).

Na continuidade do webinar que reuniu recentemente as cidades da Rede, a representante da NACTO (National Association of City Transportation Officials) facilitou exercícios interativos com as possibilidades de intervenções urbanas, e a cidades puderam trocar informações sobre as ações que estão executando localmente. Estiveram presentes representantes de Campinas (SP), Caruaru (PE), Pelotas (RS) e Niterói (RJ), além de consultores da NACTO e da Rede Urban95.

Defesa da Primeira Infância

Projeto Pacto de Paz em Pelotas foca no desenvolvimento dos bebês (Crédito: Michel Corvelo)

Pelotas compartilhou as experiências com o Rotas da Primeira Infância, que fez intervenções com foco no uso de pedestres e ciclistas, criando conexões entre serviços de saúde, educação e áreas próprias para crianças, inclusive um micro parque. No principal acesso viário há agora uma ciclovia, de um lado, e de outro uma larga calçada.

Em seu recém aprovado Plano de Mobilidade, a cidade regulamentou temas e prioridades em muita sinergia com a ideia de uma cidade amiga da criança, como o foco na equidade, o incremento do transporte ativo, a inclusão social e acessibilidade, perpassada por elementos de uma gestão democrática.

“O desafio agora é incrementar o projeto com intervenções gráficas e mobiliário urbano para  podermos replicá-lo pela cidade, gerando uma transformação com potencial de impacto em Pelotas”, conta a arquiteta e urbanista da Prefeitura Municipal, Carmem Roig.

Em Caruaru, o foco está sendo a mediação entre crianças e espaços públicos a partir do lúdico, especialmente em áreas de acesso a equipamentos educacionais no centro da cidade. Em diálogo com um projeto mais amplo de transformação de zonas degradadas, as intervenções têm como eixo central a relação entre infância e mobilidade ativa.

Secretário de Planejamento de Caruaru, Swami Lima apresentou a próxima etapa de execução pela Prefeitura, onde características locais serão aproveitadas no conceito de parques naturalizados. “Nossa ideia é conectar o centro de educação infantil, que está na região central da cidade e próximo à linha férrea, com outros serviços e espaços públicos próprios para as crianças. Que se tornem vias mais agradáveis, seguras e verdes”, completou.

A equipe da Prefeitura de Campinas compartilhou com o grupo um projeto desafiador de intervenção na zona central da cidade, que prevê a requalificação da área com estratégias voltadas ao uso da comunidade. Mas não é de hoje que o município vem desenvolvendo políticas urbanas com foco nos pedestres, no uso dos espaços de bairro e proteção à primeira infância.

O Plano pela Primeira Infância Campineira indica a inserção dos bebês e crianças pequenas na cidade e a necessidade de adaptá-la a este público. De forma complementar, o Plano Diretor de 2018 e o Plano Municipal de Mobilidade priorizam políticas para pedestres e a redução de acidentes. O novo plano de requalificação da área central segue as mesmas diretrizes: pedestres e ciclistas devem ter prioridade.

“Conectar áreas urbanas e zonas verdes com foco na criação de uma cidade para as pessoas, é essa nossa meta”, resume Daniela Zacardi, Arquiteta da Prefeitura de Campinas.

Defesa da Primeira Infância - Urban95

Niterói organiza eventos virtuais de estímulo à leitura (Crédito: Prefeitura de Niterói)

Helena Porto compartilhou os avanços da experiência de Niterói, que tem trabalhado em um projeto ousado de intervenções urbanas, criando áreas verdes e agradáveis com foco nas crianças e no acesso da comunidade.

Já em funcionamento, o projeto CaminhaNit mistura mobilidade, educação e sustentabilidade em trajetos guiados entre casa e escola. Agora a cidade trabalha em um piloto inovador, a construção de uma rota caminhável que integre CaminhaNit, programas de monitoramento da qualidade do ar e a implementação de micro parques.

“Nosso planejamento inclui a priorização de alguns territórios e a participação da comunidade, especialmente crianças, na formatação das intervenções. Esperamos que o Rotas Caminháveis possa ser replicável em outras áreas da cidade”, completa Helena.

Brincadeira interativa para pensar a cidade perfeita

Na segunda parte da atividade a equipe da NACTO mediou um jogo interativo para que as equipes exercitassem o planejamento de espaços urbanos voltados aos pedestres e ciclistas. Alargamento de calçadas, implantação de ciclovias, vias exclusivas para ônibus e, mesmo a criação de parques e pequenas praças, foram colocados em um quebra-cabeça virtual para acesso de todos.

A atividade foi uma oportunidade de exercitar ferramentas já conhecidas pelos planejadores urbanos, mas de uma forma diferente, inovando o pensamento sobre caminhos e soluções para as demandas de cada uma das cidades. A brincadeira rendeu inspiração e boas ideias que as equipes levarão para suas cidades, onde seguirão trabalhando no desenvolvimento das intervenções locais.

“A resistência é gigante na luta contra os carros e por uma cidade que acolha as pessoas, mas em um ano tão difícil para todo o mundo, é inspirador poder trabalhar para pensar cidades melhores”, afirmou Carmem Roig, da Prefeitura Municipal de Pelotas.

A Rede Urban95 é uma iniciativa da Fundação Bernard van Leer e do Instituto Cidades Sustentáveis, reunindo 14 cidades em defesa da primeira infância (cidades das crianças) com o objetivo comum de desenvolver e fortalecer programas e políticas para crianças de 0 a 6 anos de idade. Recentemente, integraram a Rede as seguintes cidades: Aracaju (SE), Brasiléia (AC), Campinas (SP), Caruaru (PE), Crato (CE), Fortaleza (CE), Ilhéus (BA), Jundiaí (SP), Niterói (RJ), Pelotas (RS) e Ubiratã (PR).

A iniciativa visa estimular os municípios a incorporar, no planejamento e na gestão, o foco no desenvolvimento da primeira infância a partir de ações e políticas públicas efetivas neste campo. Este webinar é parte de uma série de capacitações do programa.

ACESSE E SAIBA POR QUE É IMPORTANTE BRINCAR NA PRIMEIRA INFÂNCIA