Mobilidade para famílias

Permitir que cuidadores e crianças pequenas possam caminhar ou andar de bicicleta até serviços de saúde e creches, assim como a lugares onde seja possível brincar sem perigo, e a encontrar fontes de alimentação saudável.

As crianças precisam se deslocar nas cidades para acessar escolas, postos de saúde e áreas de lazer, dependendo da mobilidade urbana para usufruir desses equipamentos e dos espaços públicos.

Em um momento em que cada vez mais crianças do mundo estão crescendo nas cidades, a Fundação Bernard van Leer está trabalhando com governos municipais para encontrar maneiras novas e escaláveis ​​de tornar as cidades mais amigáveis para as crianças.

Como bebês e crianças pequenas dependem de cuidadores para se deslocar na cidade, esses adultos precisam sentir-se seguros e confortáveis nos espaços públicos, capazes de circular com tranquilidade e segurança.

É preciso considerar a perspectiva dos bebês e crianças pequenas na mobilidade urbana, mesmo que eles não circulem de forma autônoma na cidade. E não esqueçamos que uma cidade que oferece deslocamentos seguros, acessíveis e confortáveis para as necessidades de uma criança acolhe populações vulneráveis e com mobilidade reduzida.

O que as cidades podem fazer?

Promover a acessibilidade, segurança e conforto nos espaços públicos para bebês, crianças e seus cuidadores, reforçando o objetivo de maximizar a frequência, a qualidade e a intensidade de interações positivas entre eles.

Ruas planejadas sob a perspectiva de bebês e crianças devem considerar fatores de segurança, como calçadas largas e regulares, faixas de pedestre bem sinalizadas, iluminadas e limpas.

Mas os espaços públicos também podem ser lúdicos e educativos, e cada vez mais cidades investem em mobiliário e intervenções urbanas em rotas utilizadas por crianças e famílias, incentivando as interações positivas.

As cidades podem ainda apoiar a construção de sistemas de mobilidade urbana que considerem os deslocamentos de crianças, famílias e cuidadores, com necessidades próprias e muito diversas para acessar a cidade.

O que o transporte tem a ver com isso?

O transporte urbano pode afetar a qualidade das experiências que moldam o cérebro em desenvolvimento – para o bem e para o mal. Ele interfere no acesso a alimentos saudáveis, cuidados de saúde, creches e outros serviços essenciais para a primeira infância.

As crianças têm um alcance muito menor de mobilidade em comparação aos adultos, são particularmente vulneráveis à poluição e precisam se locomover regularmente para serviços de primeira infância, como clínicas pediátricas e creches. Dependem diretamente do transporte para usufruir dos serviços urbanos.

A qualidade do transporte e do planejamento afeta a extensão em que mulheres grávidas, bebês e crianças podem acessar os serviços de que precisam para um desenvolvimento saudável e pleno, como fontes de alimentação saudável, serviços ​​de saúde e educação, parques e espaços de lazer.

Planejamento de bairros

Viajar na cidade pode ser cansativo, longo, estressante ou perigoso para os cuidadores. Isso afeta a qualidade e a quantidade de atendimento responsivo que eles podem fornecer, além da própria disposição ao se deslocarem com as crianças.

Um bairro acessível é aquele que promove a utilização de serviços essenciais durante os primeiros anos de vida por meio de uma viagem curta (15 minutos) de baixo custo. Um planejamento assertivo desenvolve comunidades animadas, solidárias e seguras, em um entorno confortável e estimulante para o desenvolvimento de crianças pequenas e o bem-estar de seus cuidadores.

A escala de bairro traz formas seguras, acessíveis e sustentáveis para que cuidadores com crianças pequenas alcancem seus destinos, seja andando, pedalando, utilizando meios de transporte público formais ou informais. Um ambiente físico seguro e estimulante incentiva a exploração e o aprendizado das crianças, enquanto tranquiliza os pais.

Na prática, isso se traduz em bairros caminháveis, com espaços públicos próximos das moradias e uma rede de transporte urbano confiável, para que as famílias com crianças pequenas possam se locomover de maneira fácil, acessível e agradável.

Boas Práticas e ideias inspiradoras em mobilidade para bebês, crianças e famílias